5 dicas para parar de fumar. Aproveite este momento! Sua saúde física e mental agradecem!

5 dicas para parar de fumar. Aproveite este momento! Sua saúde física e mental agradecem!
5 (100%) 3 votes

 

dicas-como-parar-de-fumar-dr-daniel-benitti-cirurgiao-vascular-sao-paulo-campinas
Algumas pessoas acreditam que fumar ajuda a relaxar, mas esse hábito aumenta a ansiedade e a tensão. (imagem freepik)

 

Todos sabemos que parar de fumar melhora a saúde física. Mas, também está comprovado que traz muitos benefícios para a saúde mental e bem-estar, podendo melhorar o humor e ajudar a aliviar o estresse, a ansiedade e a depressão!

A maioria dos fumantes diz que quer parar, mas alguns continuam, pois o cigarro parece aliviar o estresse e a ansiedade. Contudo, é uma crença comum que fumar ajuda a relaxar. Mas, na verdade, esse hábito aumenta a ansiedade e a tensão! Além disso, fumantes também são mais propensos a desenvolverem depressão ao longo do tempo.

“O tabagismo é um paradoxo, pois adultos jovens com histórico de depressão têm três vezes mais chances de começar a fumar do que aqueles sem histórico de depressão. A nicotina possui uma ação antidepressiva central com liberação de dopamina e aumento da biodisponibilidade da serotonina, a curto prazo. Por outro lado, o tabagismo crônico aumenta o risco de depressão de uma pessoa como resultado de alterações na neurofisiologia do cérebro”, explica o Dr. Daniel Benitti, cirurgião vascular que atende em São Paulo e em Campinas.

Por que parece que fumar ajuda a relaxar?

como-parar-de-fumar-dr-daniel-benitti-cirurgiao-vascular-sao-paulo-campinas
O ato de fumar cria um círculo vicioso e, com o tempo, piora a ansiedade e a depressão. (imagem freepik)
  1. Fumar cigarros interfere com certas substâncias químicas no cérebro, como dopamina e serotonina. 
  2. Quando os fumantes não fumam, o desejo por por um cigarro faz com que se sintam irritados e ansiosos.
  3. Esses sentimentos podem ser temporariamente aliviados quando acendem um cigarro. Assim, os fumantes associam o humor melhorado ao fumo.

De fato, são os efeitos crônicos do cigarro em si que provavelmente causaram a ansiedade em primeiro lugar.  O ato de fumar cria um círculo vicioso e, com o tempo, piora a ansiedade e a depressão.

Alguns estudos mostram que quando a pessoa para de fumar os níveis de ansiedade, depressão e estresse ficam mais baixos, a qualidade de vida e o humor positivo melhoram e a dosagem de alguns medicamentos usados para tratar problemas de saúde mental pode ser reduzida.

As pessoas com problemas de saúde mental, incluindo ansiedade, depressão ou esquizofrenia são muito mais propensas a fumar do que a população em geral e, quando isso acontece, tendem a fumar mais fortemente. Por isso, morrem em média 10 a 20 anos mais cedo do que aqueles que não apresentam problemas de saúde mental – o tabagismo desempenha um papel importante nessa diferença na expectativa de vida. Além disso, precisam de doses mais altas de alguns medicamentos antipsicóticos e antidepressivos, porque o fumo interfere na maneira como esses medicamentos funcionam. Assim, nestas pessoas parar de fumar é mandatório para ter eficácia no tratamento.

“As pessoas com problemas de saúde mental provavelmente se sentirão mais calmas e positivas, e terão uma melhor qualidade de vida após deixarem de fumar. As evidências sugerem que o efeito benéfico de parar de fumar nos sintomas de ansiedade e depressão pode ser igual ao de tomar antidepressivos. Logicamente, o início não será fácil e provavelmente será necessário o uso de medicação nestas pessoas”, salienta o Dr. Daniel Benitti.

LEIA TAMBÉM: Está difícil ter uma boa noite de sono? Veja o que fazer!

LEIA TAMBÉM: Por que tomar cuidado com o consumo de álcool neste período de quarentena?

5 dicas para parar de fumar

5-dicas-parar-de-fumar-dr-daniel-benitti-cirurgiao-vascular-sao-paulo-campinas
Para parar de fumar, procure ajuda especializada. (imagem freepik)

Se você deseja parar de fumar, procure ajuda médica, alguém que tenha empatia e ofereça a melhor chance de parar completamente e para sempre. Existe mais de uma opção disponível.

Use artifícios para parar de fumar, como terapia de reposição de nicotina ou e-cigarros.

Existem grupos de auxílio para parar de fumar. Eles aumentarão suas chances de desistir definitivamente. Você pode falar sobre quais auxílios funcionam melhor para você e eles podem fornecer suporte adicional, como conselhos sobre como gerenciar os desejos. Eles também podem conversar com você sobre os dois medicamentos para parar de fumar disponíveis mediante receita: Vareniclina e Bupropiona.

Se você não for tão bem-sucedido quanto deseja, ainda terá aprendido algo para ajudá-lo na próxima vez. Quanto mais confortável você estiver usando o suporte disponível, mais preparado estará para parar completamente.

Se você toma medicamentos antipsicóticos ou antidepressivos, é importante conversar com seu médico ou psiquiatra antes de parar de fumar. A dose desses medicamentos pode precisar ser monitorada e a quantidade que você precisa tomar pode ser reduzida.

Às vezes, o início de antidepressivos preventivos antes de parar é recomendado para pacientes com histórico de depressão para estabilizar o humor e reduzir o risco de recaída. Fumantes com depressão têm maior dependência de nicotina e, depois de parar, experimentam humor negativo mais grave e correm risco de depressão maior. No entanto, eles são motivados a sair e muitos alcançam a abstinência a longo prazo. 

LEIA TAMBÉM: O estresse pode fazer você engordar?

LEIA TAMBÉM: Alimentação adequada pode tratar a ansiedade

LEIA TAMBÉM: Saiba como fazer a respiração diafragmática que melhora a ansiedade

LEIA TAMBÉM: 7 dicas para manter a calma e enfrentar as dificuldades diárias

Para consulta e agendamento com o Dr. Daniel Benitti em Campinas, ligue para (19) 3233-4123 ou (19) 3233-7911.

Para consultas com o Dr. Daniel Benitti em São Paulo, ligue para (11) 3081-6851.

Caso prefira, entre em contato diretamente com ele via e-mail:

Sobre o Autor: Dr. Daniel Benitti

Médico formado pala Faculdade de Medicina da USP (Universidade de São Paulo), com Residência em Cirurgia Geral e em Cirurgia Vascular e Endovascular no Hospital das Clínicas da USP. veja mais aqui

Deixe seu comentário

Seu email não será publicado.