dicas-melhorar-o-cerebro-dr-daniel-benitti-cirurgiao-vascular

8 semanas para um cérebro melhor

Meditar pode fazer uma diferença enorme no seu dia-a-dia.

 

dicas-melhorar-o-cerebro-dr-daniel-benitti-cirurgiao-vascular
Tivemos um aumento de 500% na prescrição de antidepressivos durante a pandemia, mas seria possível tratar essas pessoas de outra forma, melhorando o cérebro delas?

 

O esgotamento já era um problema generalizado mesmo antes da pandemia da Covid-19 e só piorou. Todo mundo conhece alguém que apresentou “Burnout” devido ao estresse crônico. No entanto, os estressores adicionais associados ao coronavírus tornaram o Burnout uma ameaça ainda maior. De acordo com um estudo internacional, muitas pessoas indicaram que o esgotamento piorou por causa da pandemia.

O esgotamento clínico é um processo insidioso que pode causar graves prejuízos ocupacionais e pessoais. A espiral descendente que se segue coloca em risco a qualidade de vida e o bem-estar individual. Burnout tem sido associado à perda de empatia, erros, diminuição da capacidade de prestar cuidados, interrupção profissional, abuso de substâncias e até suicídio.

Tivemos um aumento de 500% na prescrição de antidepressivos durante a pandemia, mas seria possível tratar essas pessoas de outra forma?

8 semanas para melhorar o seu cérebro

Participar de um programa de meditação de oito semanas parece fazer mudanças mensuráveis nas regiões do cérebro associadas à memória, senso de identidade, empatia e estresse. Em um estudo, uma equipe liderada por pesquisadores de Harvard documentou as mudanças produzidas pela meditação ao longo do tempo na massa cinzenta do cérebro.

beneficios-meditacao-cerebro-dr-daniel-benitti-cirurgiao-vascular

LEIA TAMBÉM: Saiba como fazer a respiração diafragmática que melhora a ansiedade

No estudo, imagens de ressonância magnética (RM) foram obtidas da estrutura do cérebro de 16 participantes do estudo duas semanas antes e depois de terem participado do Programa de Redução de Stress Baseada em Mindfulness (MBSR) de oito semanas. Além de reuniões semanais que incluíam prática de meditação mindfulness – que se concentra na consciência sem julgamentos de sensações, sentimentos e estado de espírito – os participantes receberam gravações de áudio para a prática de meditação guiada e foram solicitados a manter o controle de quanto tempo eles praticavam a cada dia.

Um conjunto de imagens do cérebro de RM também foi obtido de um grupo de controle de não meditadores durante um intervalo de tempo semelhante.

Os participantes do grupo de meditação relataram passar uma média de 27 minutos por dia praticando exercícios de atenção plena e suas respostas a um questionário de atenção plena indicaram melhorias significativas em comparação com as respostas pré-participação.

LEIA TAMBÉM: Como fazer yoga em casa

A análise de imagens de RM, que se concentrou em áreas onde diferenças associadas à meditação foram observadas em estudos anteriores, encontrou aumento na densidade de matéria cinzenta no hipocampo, conhecido por ser importante para o aprendizado e a memória, e em estruturas associadas com autoconsciência, compaixão e introspecção.

As reduções de estresse relatadas pelos participantes também foram correlacionadas com a diminuição da densidade da massa cinzenta na amígdala, que é conhecida por desempenhar um papel importante na ansiedade e no estresse.

Embora nenhuma mudança tenha sido observada em uma estrutura associada à autoconsciência chamada ínsula, que havia sido identificada em estudos anteriores, os autores sugerem que a prática de meditação de longo prazo pode ser necessária para produzir mudanças nessa área.

Nenhuma dessas alterações foi observada no grupo de controle, indicando que não resultaram meramente da passagem do tempo.

“Embora a prática da meditação esteja associada a uma sensação de paz e relaxamento físico, os praticantes afirmam que a meditação também oferece benefícios cognitivos e psicológicos que persistem ao longo do dia. Este estudo demonstra que mudanças na estrutura do cérebro podem estar subjacentes a algumas dessas melhorias relatadas e que as pessoas não estão apenas se sentindo melhor porque estão passando um tempo relaxando. É fascinante ver a plasticidade do cérebro e que, praticando a meditação, podemos desempenhar um papel ativo na mudança do cérebro e podemos aumentar nosso bem-estar e qualidade de vida”, indica o Dr. Daniel Benitti, cirurgião vascular que atende em São Paulo, Campinas e a distância.

Esses resultados lançam luz sobre os mecanismos de ação do treinamento baseado na atenção plena. Eles demonstram que a experiência de estresse não só pode ser reduzida com um programa de treinamento de atenção plena de oito semanas, mas que essa mudança experiencial corresponde a alterações estruturais na amígdala, uma descoberta que abre portas para muitas possibilidades para pesquisas futuras sobre o potencial de proteção contra transtornos relacionados ao estresse, como transtorno de estresse pós-traumático.

A meditação pode ser uma ferramenta muito potente de tratamento, pois muda o cérebro de forma estrutural.

LEIA TAMBÉM: 7 dicas para manter a calma e enfrentar as dificuldades diárias

LEIA TAMBÉM: Você reclama diariamente da vida? Confira 7 segredos para ser mais feliz!

Para consulta e agendamento com o Dr. Daniel Benitti em Campinas, ligue para (19) 3233-4123 ou (19) 3233-7911.

Para consultas com o Dr. Daniel Benitti em São Paulo, ligue para (11) 3081-6851.

Caso prefira, entre em contato diretamente com ele via e-mail:

Sobre o Autor: Dr. Daniel Benitti

Médico formado pala Faculdade de Medicina da USP (Universidade de São Paulo), com Residência em Cirurgia Geral e em Cirurgia Vascular e Endovascular no Hospital das Clínicas da USP. veja mais aqui

Deixe seu comentário

Seu email não será publicado.