O que comer para viver mais

Como comer para viver mais de 100 anos

 

O que comer para viver mais
As pessoas que vivem mais, inflamam menos.

 

Acho que todo mundo sonha em viver mais e melhor! Mas, será que é possível fazer algo para atingir este objetivo? Será que apenas a genética influencia?

O autor Dan Buettner decidiu ir direto à fonte. Trabalhando com a National Geographic e o National Institute on Aging, ele identificou áreas do mundo onde as pessoas vivem mais e mais saudáveis, como Sardenha, Itália, Okinawa, Japão e Loma Linda, Estados Unidos.

Eles apelidaram essas áreas de “zonas azuis” e, em seguida, começaram a descobrir o que essas populações tinham em comum. Por exemplo, as pessoas nas zonas azuis são naturalmente ativas ao longo do dia, têm conexões significativas na comunidade e um senso de propósito.

“As pessoas que vivem mais, inflamam menos. A atividade física, qualidade do sono, manejo do estresse, convívio social, alimentação adequada, microbiota intestinal e poluição do ar são influenciadores diretos na inflamação. Não adianta querer controlar apenas um ou dois. Para ser saudável devemos deixar todos em equilíbrio. Esse é o segredo para uma vida saudável e para viver sem a inflamação do Lipedema. É um investimento que vale muito a pena fazer, pois você colhe os frutos sempre e quanto maior o prazo, maior o benefício”, indica o Dr. Daniel Benitti, cirurgião vascular, médico especialista em Lipedema, que atende em São Paulo, Campinas e a distância.

LEIA TAMBÉM: Dicas alimentares que diminuem a inflamação.

LEIA TAMBÉM: O que você come tem um impacto enorme na sua saúde, principalmente se você tem Lipedema.

Contudo, as dietas também têm semelhanças, de acordo com o livro de receitas The Blue Zones Kitchen. Abaixo estão algumas maneiras de fazer com que a dieta da longevidade também trabalhe para a sua saúde. Confira o que comer para viver mais:

Coma feijão

Feijão para viver mais.

As pessoas nas zonas azuis comem feijão regularmente, pelo menos meia xícara por dia. Feijões (como preto, branco e grão de bico) são uma fonte barata de proteína vegetal e são carregados com fibras, que, por sua vez, são essenciais para o bom funcionamento do organismo e estão associadas a um menor risco de doenças, além de ser boa para a saúde intestinal.

Inclua vegetais crucíferos

Brócolis, couve-flor e repolho alimentação longevidade.

Brócolis, couve-flor e repolho contêm compostos naturais que são bons para o coração e ajudam a prevenir alguns tipos de câncer. As mulheres com Lipedema se beneficiam muito de vegetais crucíferos. No entanto, deve-se evitar comer o mesmo mais de 3 dias na semana.

Oleaginosas

Oleaginosas alimentação para viver mais.

Os centenários da zona azul comem cerca de 60 gramas de nozes por dia – isso é cerca de dois pequenos punhados. Você pode variar o tipo de comida (como pistache, nozes e amêndoas) para obter uma variedade de benefícios. O amendoim é uma escolha especialmente econômica.

Beba principalmente água

Beber água para viver mais.

Embora as pessoas nas zonas azuis também consumam bebidas como chá e café, a maior parte da hidratação vem da água.

Bebidas como refrigerantes são a fonte número 1 de açúcar adicionado para a maioria dos adultos. Além de serem ricas em sódio, a maioria das bebidas açucaradas não contém outros nutrientes. Embora o vinho tinto seja popular em algumas zonas azuis, os autores observam que você não deve começar a bebê-lo se ainda não o fez. Mas, o homem pode tomar até duas taças e a mulher uma.

Qual água é mais saudável? Qual é a melhor água para quem tem Lipedema?

Coma menos açúcar

Comer menos açúcar para viver mais.

As pessoas nas zonas azuis comem apenas um quinto do açúcar adicionado que comemos em geral. Em vez de ingerir alimentos e bebidas açucaradas ao longo do dia, eles tendem a comer açúcar “intencionalmente” em ocasiões especiais, como aniversários ou datas comemorativas.

Corte o açúcar em 10 dias! A vida não precisa dele para ser doce

Faça mais refeições sem carne

Comer menos carne para viver mais.

Nas zonas azuis, a carne não é a peça central da refeição. É mais um acompanhamento ou uma forma de aumentar o sabor das receitas. As refeições são principalmente à base de plantas e os feijões costumam ser a principal fonte de proteína (ou tofu em Okinawa, Japão). Segundo as recomendações da Worl Cancer Research Fund, o ideal seria limitar o consumo de carne vermelha a 350-500g por semana e praticamente eliminar carnes processadas para viver mais.

Mostre gratidão e coma com os seus entes queridos

Coma com a sua família.

Reserve um momento para demonstrar gratidão antes de uma refeição e, de preferência, saboreie as refeições na companhia de familiares e amigos. O convívio social, laços familiares e gratidão são fundamentais para manutenção dos neurônios e suas conexões cerebrais.

LEIA TAMBÉM: Você come praticamente todos os dias a mesma coisa?

LEIA TAMBÉM: 7 alimentos que você deveria comer diariamente

Para consulta e agendamento com o Dr. Daniel Benitti em Campinas, ligue para (19) 3233-4123 ou (19) 3233-7911.

Para consultas com o Dr. Daniel Benitti em São Paulo, ligue para (11) 3081-6851.

Caso prefira, entre em contato diretamente com ele via e-mail:

Sobre o Autor: Dr. Daniel Benitti

Médico formado pala Faculdade de Medicina da USP (Universidade de São Paulo), com Residência em Cirurgia Geral e em Cirurgia Vascular e Endovascular no Hospital das Clínicas da USP. veja mais aqui

Deixe seu comentário

Seu email não será publicado.