mulher-crise-meia-idade-dr-daniel-benitti-cirurgiao-vascular

Como sobreviver a crise da meia-idade?

 

mulher-crise-meia-idade-dr-daniel-benitti-cirurgiao-vascular
Durante a meia-idade, as mulheres não estão apenas lidando com mudanças biológicas, mas com uma ampla gama de eventos estressantes.

 

A meia-idade, o período da vida entre a idade adulta mais jovem e mais velha, foi descrita como um período de transição na vida das mulheres. Os investigadores que estudam a meia-idade têm se concentrado em mulheres de 40 a 65 anos de idade, que normalmente enfrentam vários desafios sociais, psicológicos e biológicos, entre eles a transição da menopausa.

Durante esse tempo, as mulheres não estão apenas lidando com mudanças biológicas, mas com uma ampla gama de eventos estressantes, como, por exemplo, preocupações com a saúde, problemas familiares, questões relacionadas ao trabalho, mortes, frustração na realização de metas e preocupações financeiras. Por isso, esse período da vida pode ser muito estressante.

As palavras “crise da meia-idade” podem colocar um viés negativo neste período, mas não precisa ser ruim. Pode ser uma oportunidade de reavaliar a sua vida. É a chance de fazer uma pausa e gastar tempo e energia tentando descobrir o que é significativo para você.

“Esse período da vida é muito importante para as mulheres com Lipedema, pois, se não tratadas, elas já estarão sofrendo com a inflamação durante mais da metade da vida delas e o impacto fisiológico e psicológico disso é muito grande. As alterações hormonais são uma das maiores diferenças nesse período. Conforme as mulheres entram na menopausa, o estrogênio e a progesterona diminuem e causam mudanças fisiológicas, incluindo flutuações no sono, humor e desejo sexual. A perturbação hormonal e os sentimentos resultantes podem fazer a mulher se sintonizar consigo mesma. Como as mulheres geralmente atendem aos sentimentos e necessidades de todos os outros, essa autorreflexão pode ser reveladora. Por isso, conversar e explicar sobre este período é libertador para muitas”, indica o Dr. Daniel Benitti, médico cirurgião vascular especialista em Lipedema, que atende em São Paulo, Campinas e a distância.

Como mães, as mulheres são mais ativas e têm uma conexão mais forte com os filhos. Mas, de repente, os filhos começam a precisar menos delas e, quando as mulheres não estão mais dando toda a atenção aos filhos, elas têm tempo para refletir sobre as suas próprias necessidades e como elas não estão sendo atendidas.

As mulheres também podem começar a se sentir mais invisíveis na sociedade. Esse sentimento pode ocorrer quando vivenciam a perda da mãe ou do pai ou quando há uma mudança na carreira.

Quais são os sinais e sintomas de uma crise de meia-idade?

Na crise da meia idade você pode sentir:

  • Depressão e ansiedade.
  • Infelicidade.
  • Falta de motivação ou desejo de dedicar tempo a certas atividades.
  • Insatisfação com a carreira e outras opções de vida.

LEIA TAMBÉM: Depressão é mais comum nas mulheres: de 10 a 25% irão apresentar o transtorno em algum momento da vida

Como lidar com uma crise de meia-idade?

  1. Reconheça

Seja honesta consigo mesma se estiver se sentindo deprimida ou ansiosa com a sua vida. Você não pode superar o que você não reconhece.

  1. Faça uma autoavaliação

Dê um mergulho profundo nos seus sentimentos para descobrir o que é significativo para você. Pense em onde você gasta seu tempo e energia e o que está funcionando para você.

Descubra o que está sugando a sua energia em vez de energizar a sua vida. Isso pode significar realinhar relacionamentos: abandonar relacionamentos tóxicos, encontrar novos grupos de amizade ou fazer mais hobbies ou coisas para você.

  1. Perca a culpa

Não se sinta mal com a sua autoexploração. Reconheça que isso é uma necessidade e não uma indulgência. Dê a si mesma permissão para explorar essas questões da vida. 

  1. Mantenha um diário de gratidão

Escreva por que você se sente grata. Reveja as suas prioridades para ver quais experiências você deseja aumentar. É descobrir o significado por trás das escolhas que você fez e quais escolhas você deseja continuar a fazer no futuro.

  1. Faça da sua saúde uma prioridade

Entre em contato com o seu médico de confiança para que eles possam ajudá-la a entender o que é normal e o que pode ser depressão ou ansiedade. Consultar um terapeuta também pode ajudá-la a navegar pelas suas emoções.

Se você está passando por uma depressão severa, se sente desmotivada e está afetando as suas atividades diárias ou se você está tendo pensamentos suicidas, então definitivamente é hora de obter ajuda profissional.

LEIA TAMBÉM: Como ficar em forma depois dos 40 anos

LEIA TAMBÉM: Mamografia: importante aliada da saúde vascular da mulher

  1. Converse

É importante saber que você não é a única que passou por uma crise de meia-idade. Falar com outras mulheres sobre o que você está sentindo, te apoia. Mulheres que já passaram por isso podem compartilhar ideias ou dicas para ajudar a dar sentido à sua vida.

Embora a auto-reflexão intensa possa deixá-la pronta para fazer mudanças drásticas, não faça mudanças radicais ou impulsivas. Tenha cuidado com as mudanças que gostaria de fazer e implemente-as lentamente. Você não precisa fazer todas de uma vez.

LEIA TAMBÉM: Siga essas 5 dicas para ganhar 14 anos de vida

Para consulta e agendamento com o Dr. Daniel Benitti em Campinas, ligue para (19) 3233-4123 ou (19) 3233-7911.

Para consultas com o Dr. Daniel Benitti em São Paulo, ligue para (11) 3081-6851.

Caso prefira, entre em contato diretamente com ele via e-mail:

Sobre o Autor: Dr. Daniel Benitti

Médico formado pala Faculdade de Medicina da USP (Universidade de São Paulo), com Residência em Cirurgia Geral e em Cirurgia Vascular e Endovascular no Hospital das Clínicas da USP. veja mais aqui

Deixe seu comentário

Seu email não será publicado.