Carne vermelha inflama?

É verdade que carne vermelha inflama? Não devo comer se eu tenho Lipedema?

 

Carne vermelha inflama?
O consumo de carne processada foi classificado como cancerígeno e da carne vermelha como provavelmente cancerígeno.

 

Em 2015, a Agência Internacional de Pesquisa do Câncer (IARC) da Organização Mundial da Saúde (OMS) anunciou que o consumo de carne processada é “cancerígeno para humanos (Grupo I)” e que o consumo de carne vermelha é “provavelmente cancerígeno para humanos (Grupo 2A). ”  Veja pelo link:  https://www.iarc.who.int/wp-content/uploads/2018/07/pr240_E.pdf

O relatório diferencia as duas carnes da seguinte forma:

Carne processada

Carne que foi transformada por meio de salga, cura, fermentação, defumação ou outros processos para realçar o sabor ou melhorar a preservação.

Carne vermelha

Carne de músculo não processada de mamíferos, como carne de vaca, vitela, porco, cordeiro, carneiro, cavalo e cabra.

O que você come tem um impacto enorme na sua saúde. Principalmente se você tem Lipedema.

O consumo de carne processada foi classificado como cancerígeno e da carne vermelha como provavelmente cancerígeno depois que o Grupo de Trabalho da IARC – composto por 22 cientistas de dez países – avaliou mais de 800 estudos. As conclusões foram baseadas principalmente nas evidências de câncer colorretal. Os dados também mostraram associações positivas entre o consumo de carne processada e câncer de estômago, e entre o consumo de carne vermelha e câncer de pâncreas e de próstata.

O processamento de carne, como cura (por exemplo, adicionando nitratos ou nitritos) ou fumagem, pode levar à formação de produtos químicos potencialmente cancerígenos (carcinogênicos), como compostos N-nitroso (NOC) e hidrocarbonetos aromáticos policíclicos (PAH).

A carne também contém ferro heme, que pode facilitar a produção de NOCs cancerígenos.

Cozinhar, especialmente em alta temperatura, incluindo cozinhar carnes sobre uma chama (por exemplo, fritar, grelhar, churrasco) – também pode produzir produtos químicos cancerígenos, incluindo aminas aromáticas heterocíclicas (HAA) e PAHs.

No entanto, algumas perguntas devem ser respondidas com embasamento científico e não com opiniões geradas após cursos de final de semana.

Abaixo, o Dr. Daniel Benitti, cirurgião vascular, que atende em São Paulo, Campinas e a distância, responde perguntas pertinentes ao assunto. Confira:

Não posso comer carne vermelha ou processada? O que você recomenda?

DB: Estudos têm mostrado que quanto maior o consumo de carne processada, maior o risco de câncer colorretal e outras doenças crônicas. Isso não significa que você tenha que cortar todas as carnes vermelhas e processadas da sua dieta. Sugiro evitar carnes processadas e consumir carne vermelha ocasionalmente. Idealmente, deveríamos pensar em carne vermelha para uma ocasião especial. É assim que a carne vermelha é consumida em muitas culturas alimentares tradicionais, como a dieta mediterrânea. Outras organizações também recomendaram limitar o consumo de carne vermelha para melhorar a saúde, incluindo a American Heart Association, o World Cancer Research Fund (WCRF) e a American Cancer Society. Por exemplo, o WCRF recomenda limitar a ingestão de carne vermelha a 500g por semana e evitar carne processada. A carne vermelha tem valor nutricional: é rica em proteínas, minerais e vitaminas como a vitamina B12. O problema são sempre os extremos.

O Grupo de Trabalho da IARC disse que a carne vermelha é “provavelmente” cancerígena, mas vários estudos não mostraram nenhuma associação clara. Você pode explicar por que provavelmente é cancerígeno?

DB: Em grandes estudos populacionais, mas não em todos eles, o maior consumo de carne vermelha foi associado a um maior risco de câncer colorretal. Embora esses estudos não fossem inteiramente consistentes, os resultados dos estudos de laboratório levaram o grupo de trabalho do IARC a concluir que a carne vermelha é provavelmente cancerígena. Mas, é importante ressaltar o termo “maior consumo”. O alto consumo de carne vermelha pode aumentar o risco de câncer colorretal, doenças cardiovasculares, diabetes e outras doenças crônicas, e pode levar a um maior risco de morte por essas doenças quando comparado a outras boas fontes de proteína, como aves, peixes ou legumes. Assim, muitas evidências sugerem que uma dieta saudável ideal seria com ingestão reduzida de carne vermelha.

A IARC / OMS classificou a carne processada como cancerígena do Grupo 1, a mesma categoria do cigarro e amianto. Alguns relatos indicam que comer bacon ou cachorro-quente é tão ruim quanto fumar. Isso é verdade?

DB: Já se sabe há algum tempo que o alto consumo de carne vermelha ou processada pode afetar adversamente a saúde, incluindo o aumento do risco de câncer colorretal e alguns outros tipos de câncer. Portanto, as conclusões tiradas pelo Grupo de Trabalho da IARC são consistentes com o que já sabemos. No entanto, o IARC não avalia o nível ou a magnitude do risco. Em outras palavras, o IARC / OMS avalia a evidência, não o risco. Por isso, não podemos dizer que comer bacon ou cachorro-quente é tão ruim quanto fumar. Para colocar isso em perspectiva, de acordo com o Global Disease Burden Project, mais de 34.000 mortes por câncer por ano em todo o mundo são atribuíveis à alta ingestão de carne processada contra 1 milhão de mortes por ano atribuíveis à fumaça do tabaco.

Algumas pessoas compram carnes processadas “sem nitrato”, uma tendência alimentar relativamente nova. Isso poderia ajudar a tornar a carne processada menos cancerígena?

DB: As chamadas carnes processadas “livres de nitrato” são frequentemente preservadas com suco de aipo, uma planta rica em nitrato. A fonte de nitrato adicionado para a preservação da carne provavelmente não importará. Além disso, carnes processadas também podem conter outros compostos cancerígenos, como PAHs, que podem ser formados durante a defumação de carne (por exemplo, o salame). Carnes processadas, particularmente aquelas que contêm carne vermelha, também contêm ferro heme, que pode aumentar a formação de compostos cancerígenos (NOCs) no corpo. Até que saibamos mais sobre os mecanismos exatos subjacentes à relação entre carne processada e câncer, é melhor tratar essas carnes processadas sem nitrato da mesma forma que qualquer outra carne processada e limitar a ingestão. O mesmo vale para as carnes processadas “orgânicas”.

Em resumo

Coma mais peixes, aves, frutas e vegetais frescos. Tudo se resume à moderação e à compreensão de que uma refeição ocasional de carne vermelha não vai encurtar a vida de uma pessoa ou fazer ela ficar mais inflamada.

LEIA TAMBÉM: Dicas alimentares que diminuem a inflamação.

LEIA TAMBÉM: Sensibilidade ou intolerância alimentar: por que é importante saber o que é isso?

Para consulta e agendamento com o Dr. Daniel Benitti em Campinas, ligue para (19) 3233-4123 ou (19) 3233-7911.

Para consultas com o Dr. Daniel Benitti em São Paulo, ligue para (11) 3081-6851.

Caso prefira, entre em contato diretamente com ele via e-mail:

Sobre o Autor: Dr. Daniel Benitti

Médico formado pala Faculdade de Medicina da USP (Universidade de São Paulo), com Residência em Cirurgia Geral e em Cirurgia Vascular e Endovascular no Hospital das Clínicas da USP. veja mais aqui

Deixe seu comentário

Seu email não será publicado.