infarto-sinais-prevencao-Sinal-de-Frank-orelha-dr-daniel-benitti-cirurgiao-vascular-sao-paulo-campinas

Infarto: sinais poderiam ter salvado a vida do jornalista Rafael Henzel

Infarto: sinais poderiam ter salvado a vida do jornalista Rafael Henzel
5 (100%) 3 votes

 

infarto-sinais-prevencao-Sinal-de-Frank-orelha-dr-daniel-benitti-cirurgiao-vascular-sao-paulo-campinas
Sinais na orelha e nos pés podem indicar possibilidade de infarto.

 

O jornalista Rafael Henzel, sobrevivente do acidente com o vôo da Chapecoense em 2016, faleceu decorrente de um infarto fulminante essa semana. Contudo, o que poucas pessoas perceberam é que ele apresentava um sinal nas orelhas que poderia ter salvado a vida dele.

“O sinal de Frank é um vinco diagonal no lóbulo da orelha que corre para trás em um ângulo de 45 graus através do lóbulo até a borda posterior da aurícula e pode ser um preditor de doença arterial coronariana. Ele indica envelhecimento prematuro e perda de fibras elásticas dérmicas e vasculares. Embora tenha sensibilidade de 48% e especificidade de 88%, o sinal de Frank é fácil de ser visualizado e é mais útil em pessoas com menos de 60 anos”,  explica o Dr. Daniel Benitti, cirurgião vascular que atende em São Paulo e em Campinas.

Sinal-de-Frank-orelha-infarto-dr-daniel-benitti-cirurgiao-vascular-sao-paulo-campinas
Sinal de Frank

 

LEIA TAMBÉM: Incidência de infarto cresce em pessoas novas

LEIA TAMBÉM: Caso de doença cardiovascular na família aumenta em 91% os riscos de enfermidades como infarto e AVC

LEIA TAMBÉM: Má alimentação está relacionada a metade das mortes por infarto, derrame e diabetes

LEIA TAMBÉM: 5 dicas diárias para manter o seu coração saudável

Sinal de Frank

O sinal de Frank existe devido ao Dr. Sanders Frank que observou este vinco em 20 pacientes com angina (dor no peito causada pelo enfraquecimento dos músculos do coração).

Após a identificação inicial em pacientes com doença arterial coronariana, houve estudos maiores documentando a presença do sinal de Frank em pacientes com doença vascular periférica e doença cerebrovascular.

Não se sabe o motivo exato de ocorrer esta alteração na orelha, por isso, existem mais de uma teoria. No entanto, há um sistema de graduação que tem sido associado à incidência de eventos cardiovasculares com base no comprimento, profundidade, bilateralismo e inclinação:

  • Unilateral incompleto (menos grave);
  • Completo unilateral;
  • Bilateral completo (mais grave);

“É muito fácil avaliar se alguém apresenta este sinal ou não. Infelizmente muitos indícios clínicos são ignorados, ou por desconhecimento, ou por atendimento inadequado. Quantas pacientes tem Lipedema e tem suas queixas ignoradas, por exemplo? A clínica e o exame físico devem ser sempre soberanos na medicina. Outra forma simples de avaliar o risco de doença cardiovascular é examinando os pés do paciente. A alteração da circulação dos pés tem uma sensibilidade de 95% para identificar doença coronariana”, alerta o Dr. Daniel Benitti.

Quando for se consultar, procure sempre alguém que se mantenha atualizado e que examine os pacientes com cuidado.

Cuide bem da sua saúde!

LEIA TAMBÉM: Por que ter um médico de confiança?

LEIA TAMBÉM: A importância do check-up vascular

LEIA TAMBÉM: O que o angiologista e cirurgião vascular trata?

Para consulta e agendamento com o Dr. Daniel Benitti em Campinas, ligue para (19) 3233-4123 ou (19) 3233-7911.

Para consultas com o Dr. Daniel Benitti em São Paulo, ligue para (11) 3081-6851.

Caso prefira, entre em contato diretamente com ele via e-mail:

Sobre o Autor: Dr. Daniel Benitti

Médico formado pala Faculdade de Medicina da USP (Universidade de São Paulo), com Residência em Cirurgia Geral e em Cirurgia Vascular e Endovascular no Hospital das Clínicas da USP. veja mais aqui

Deixe seu comentário

Seu email não será publicado.