jejum-intermitente-e-bom-estudo-dr-daniel-benitti-cirurgiao-vascular-sao-paulo-campinas

Jejum intermitente: por que um novo estudo mostrou que não funciona?

 

 

A importância de ler com crítica qualquer estudo, independente do local que ele foi publicado.

 

jejum-intermitente-e-bom-estudo-dr-daniel-benitti-cirurgiao-vascular-sao-paulo-campinas
A ideia é que o jejum intermitente use gordura como combustível.

 

O jejum intermitente é uma abordagem de alimentação com base no tempo. A ideia é que o jejum por tempo suficiente causa uma mudança da sinalização celular com queda nos níveis de insulina para que o corpo use gordura como combustível (cetose).

Evidências crescentes em animais e humanos mostram que essa abordagem leva a uma perda de peso significativa. Quando combinado com uma dieta nutritiva à base de vegetais e atividade física regular, o jejum intermitente pode fazer parte de um plano de manutenção ou perda de peso saudável.

O jejum intermitente provoca respostas celulares adaptativas evolutivamente conservadas que são integradas entre e dentro dos órgãos de uma maneira que melhora a regulação da glicose, aumenta a resistência ao estresse e suprime a inflamação. 

“Estudos pré-clínicos mostram consistentemente a robusta eficácia modificadora da doença causada pelo jejum intermitente em modelos animais em uma ampla gama de doenças crônicas, incluindo obesidade, diabetes, doenças cardiovasculares, cânceres e doenças cerebrais neurodegenerativas. Mudança periódica do interruptor metabólico não apenas fornece as cetonas que são necessárias para as células de combustível durante o período de jejum, mas também elicia respostas sistêmicas e celulares altamente orquestradas que passam para o estado alimentado para reforçar o desempenho mental e físico, bem como a resistência a doenças. Combinar a dieta do mediterrâneo com o jejum intermitente certamente traz muitos benefícios, principalmente para as mulheres com Lipedema”, explica o Dr. Daniel Benitti, cirurgião vascular especialista em Lipedema, que atende em São Paulo, Campinas e a distância.

LEIA TAMBÉM: Qual a melhor dieta para tratar o Lipedema?

LEIA TAMBÉM: Qual o melhor tratamento para Lipedema?

No entanto, um ensaio clínico randomizado publicado no JAMA (uma revista científica muito respeitada) afirma que o jejum intermitente não tem nenhum benefício significativo na perda de peso e um efeito negativo substancial na massa muscular. Alguns meios de comunicação publicaram manchetes como “ Uma desvantagem potencial do jejum intermitente”  e “ Um efeito colateral não intencional do jejum intermitente”.

Na medicina e na ciência nem tudo é perfeito e sempre que lemos algum artigo devemos analisar bem antes de dizer qualquer opinião sobre o assunto. (Isso vale para tudo na vida)

No estudo, 141 pacientes foram aleatoriamente designados a 12 semanas de um plano alimentar de restrição de tempo que envolvia jejum de 16 horas e alimentação apenas durante uma janela de oito horas do dia, ou um horário de refeição consistente, com três refeições estruturadas ao dia mais lanches.

Nenhum grupo recebeu qualquer educação nutricional ou aconselhamento comportamental, nem foi recomendada atividade física. Não houve um verdadeiro grupo de controle (ou seja, que não recebeu instruções sobre o horário das refeições).

Curiosamente, ambos os grupos perderam peso. O grupo do jejum intermitente perdeu mais peso com uma média de 1kg. O grupo de refeições estruturadas também perdeu algum peso, uma média de 700g. O resultado foi que não houve uma diferença significativa na mudança de peso entre os dois grupos. E os pesquisadores viram uma perda de massa muscular no grupo do jejum intermitente que não ocorreu no outro grupo.

Não sabemos como foi a base alimentar das pessoas. O estudo não menciona a qualidade da dieta ou atividade física.

É importante ressaltar que o grupo de refeições estruturadas também perdeu peso. Embora não seja significativo o suficiente para provar que foi devido a esta intervenção. Mas, as refeições estruturadas são uma intervenção. Afinal, algumas pessoas comem mais de três vezes ao dia, consumindo várias pequenas refeições ao longo do dia. Dizer às pessoas para limitarem a alimentação a três refeições mais lanches pode, na verdade, ajudar alguns a comer menos.

Estudos anteriores sobre o jejum intermitente que forneceram aconselhamento comportamental e orientação sobre nutrição e atividade, definitivamente mostraram resultados positivos.

Recente estudo

Um recente estudo do American Journal of Clinical Nutrition, no qual 250 adultos com sobrepeso ou obesos seguiram uma dieta por 12 meses (Jejum intermitente, Paleo, Mediterrânea), sendo:

  • Jejum intermitente: no protocolo 5:2, o que significa reduzir drasticamente a ingestão de alimentos em dois ou cinco dias da semana (até 500 calorias para mulheres e 700 calorias para homens);
  • Mediterrâneo:  enfatiza frutas e vegetais, legumes, nozes, sementes, grãos integrais e azeite de oliva com peixes moderados, frango, ovos e laticínios, e com a permissão de uma taça de vinho por dia para mulheres e duas por dia para homens;
  • Paleo:  enfatiza frutas e vegetais, proteínas animais, produtos derivados do coco, manteiga e azeite de oliva, junto a algumas nozes, sementes e legumes.

LEIA TAMBÉM: 7 receitas para aproveitar a Dieta do Mediterrâneo

LEIA TAMBÉM: Você sabia? Dieta rica em fibras pode te proteger de diversas doenças

“Uma outra característica importante do estudo foi que todos os participantes receberam educação sobre estratégias comportamentais para perda de peso, gerenciamento de estresse, sono e exercícios. E para nenhuma surpresa, todo mundo perdeu peso! A mudança de estilo de vida é muito importante para qualquer pessoa que deseja perder peso, principalmente para as mulheres que têm Lipedema. Nenhuma cirurgia ou medicação tem um impacto tão grande e importante quanto a mudança de estilo de vida”,  indica o Dr. Daniel Benitti.

  • O grupo jejum intermitente perdeu mais do que qualquer um com uma média de 4,5Kg, o Mediterrâneo a seguir com 3,1Kg e Paleo com 2 Kg.
  • A adesão foi melhor com a dieta mediterrânea (57%) e jejum intermitente (54%) do que com a dieta Paleo (35%), e melhor adesão resultou em perda de peso de 0,5 a 1,5kg a mais.
  • Os grupos Mediterrâneo e jejum intermitente também viram quedas significativas na pressão arterial.

Uma dieta de alta qualidade e atividade física, incluindo treinamento de resistência, são essenciais para nossa boa saúde e nada substitui essas recomendações. O jejum intermitente é apenas uma ferramenta, uma abordagem que pode ser bastante eficaz para perder peso para algumas pessoas.  Ainda precisamos de mais estudos de alta qualidade para compreender melhor como incorporar o jejum intermitente de forma mais eficaz a um estilo de vida saudável.

LEIA TAMBÉM: O café da manhã é mesmo importante?

LEIA TAMBÉM: 7 alimentos que você deveria comer diariamente

LEIA TAMBÉM: Por que ler o rótulo é fundamental para se alimentar bem?

Para consulta e agendamento com o Dr. Daniel Benitti em Campinas, ligue para (19) 3233-4123 ou (19) 3233-7911.

Para consultas com o Dr. Daniel Benitti em São Paulo, ligue para (11) 3081-6851.

Caso prefira, entre em contato diretamente com ele via e-mail:

Sobre o Autor: Dr. Daniel Benitti

Médico formado pala Faculdade de Medicina da USP (Universidade de São Paulo), com Residência em Cirurgia Geral e em Cirurgia Vascular e Endovascular no Hospital das Clínicas da USP. veja mais aqui

Deixe seu comentário

Seu email não será publicado.