Você não larga o celular e está com dores no pescoço, ombros e polegar? Leia esse post!

Você não larga o celular e está com dores no pescoço, ombros e polegar? Leia esse post!
5 (100%) 3 votes

 

dores-celular-dr-daniel-benitti-cirurgiao-vascular-sao-paulo-campinas
Mexer constantemente no celular gera movimentos repetitivos que podem prejudicar várias partes do corpo, inclusive a visão. (imagem: Freepik)

 

Você está constantemente pegando o celular para verificar o WhatsApp, redes sociais, assistir a vídeos, ler notícias, jogar, postar fotos ou checar a previsão do tempo? Você pode não perceber, mas essa prática gera movimentos repetitivos que podem prejudicar várias partes do corpo, inclusive a visão. Na realidade, as lesões por esforço cíclico, associadas ao uso do celular, estão em grande ascensão.

Segundo o Dr. Daniel Benitti, cirurgião vascular que atende em São Paulo e em Campinas, as pessoas não têm percebido, mas elas estão o tempo todo mexendo nos telefones móveis. “Está virando algo patológico. Você anda na rua e estão todos com os olhos na tela do celular, o que está causando muitas lesões no pescoço, ombros e polegar, principalmente nos jovens.  Isso precisa ser evitado”, alerta.

LEIA TAMBÉM:  Por que temos a falsa sensação de que o celular está vibrando?

LEIA TAMBÉM: TV, tablets e celulares fazem mal para crianças?

Confira abaixo algumas dicas para prevenir e ajudar no tratamento destes danos:

dores-celular-dr-cotovelo-daniel-benitti-cirurgiao-vascular-sao-paulo-campinas
Falar por muito tempo no celular pode causar lesões no cotovelo. (imagem: Freepik)

1 – Cotovelo: se você passa muito tempo conversando ao telefone, pode desenvolver dor no cotovelo. Essa lesão acontece por manter os braços em um ângulo fechado por longos períodos de tempo, como quando você segura o telefone no ouvido, comprimindo o nervo ulnar. Isso pode causar formigamento, dormência, queimação ou dor no antebraço e nos dedos. O Dr. Daniel Benitti recomenda trocar o celular de mãos com frequência e, se possível, utilizar o viva-voz.

dores-celular-dr-dedo-digitar-daniel-benitti-cirurgiao-vascular-sao-paulo-campinas
Digitar por muito tempo no celular pode causar lesões nos polegares. (imagem: Freepik)

2 – Polegar: embora o envio de mensagens de texto na maioria dos celulares seja mais rápido com os polegares, eles não são muito flexíveis. O uso prolongado desses dedos para digitação pode causar pequenas lesões nos músculos e tendões, criando inflamação que causa inchaço e rigidez. Considere falar com a pessoa ou mandar áudio.

dores-celular-dr-pescoço-daniel-benitti-cirurgiao-vascular-sao-paulo-campinas
Olhar o celular com uma postura errada pode causar dores no pescoço. (imagem: Freepik)

3 – Pescoço: todo o tempo gasto olhando para o celular ou tablet ocasiona problemas no pescoço, na parte superior das costas e ombros. Manter a cabeça curvada durante horas todos os dias pode gerar dor, espasmos musculares e rigidez no pescoço, costas e ombros, além de desgaste precoce da coluna – como sugerem alguns estudos. Se você notar formigamento, dormência ou dor nas mãos, braços ou pescoço, preste atenção em como segura o telefone e em como está dobrando o pescoço para visualizá-lo.

O primeiro passo na prevenção de lesões por esforço repetitivo é simples: “Depois de identificar o problema, pare de fazer o que estiver causando a lesão. Ou, se não conseguir, ao menos reduza a frequência. Além disso, realizar pausas físicas e mentais ao falar, enviar mensagens de texto e navegar online beneficia a saúde e proporcionará um maior proveito da vida”, indica e finaliza o Dr Daniel Benitti.

LEIA TAMBÉM: A importância do check-up vascular

LEIA TAMBÉM: O que o angiologista e cirurgião vascular trata?

LEIA TAMBÉM: O que esperar de uma consulta vascular?

Para consultas com o Dr. Daniel Benitti em Campinas, ligue para (19) 3233-4123 ou (19) 3233-7911.

Para consultas com o Dr. Daniel Benitti em São Paulo, ligue para (11) 3081-6851.

Caso prefira, entre em contato diretamente com ele via e-mail:

Sobre o Autor: Dr. Daniel Benitti

Médico formado pala Faculdade de Medicina da USP (Universidade de São Paulo), com Residência em Cirurgia Geral e em Cirurgia Vascular e Endovascular no Hospital das Clínicas da USP. veja mais aqui

Deixe seu comentário

Seu email não será publicado.