lipoaspiracao-pernas-tratamento-lipedema-dr-daniel-benitti-cirurgiao-vascular-sao-paulo-campinas

Qual a melhor lipoaspiração para a paciente com Lipedema?

 

lipoaspiracao-pernas-tratamento-lipedema-dr-daniel-benitti-cirurgiao-vascular-sao-paulo-campinas
Após a lipoaspiração para tratamento do Lipedema, a pele se molda aos novos contornos das áreas tratadas. (imagem verywellhealth)

 

Existem diversas técnicas de lipoaspiração para as pacientes com Lipedema. Mas, uma é a melhor para todas: a segura!

A lipoaspiração é um procedimento cirúrgico que utiliza uma técnica de sucção com microcânulas para remover a gordura de áreas específicas do corpo, como abdômen, quadril, coxas, nádegas, braços ou pescoço. Nas mulheres com Lipedema o alvo da cirurgia são as pernas, coxas, quadril e braços. Além disso, a lipoaspiração também modela o contorno dessas áreas.

Devido à sua segurança superior, a técnica tumescente é considerada o padrão ouro para as pacientes com Lipedema.

LEIA TAMBÉM: Magra com pernas gordas? Você deve ter Lipedema!

LEIA TAMBÉM: Qual o melhor tratamento para Lipedema?

Estudos relacionados a lipoaspiração mostraram que as complicações ocorrem mais quando o procedimento é feito com anestesia geral do que com anestesia local e sedação. O risco de complicações aumenta mais de 100x. Talvez isso seja devido ao fato de a lipoaspiração excessiva ser mais frequentemente associada à anestesia geral, pois volumes excessivos de gordura podem ser aspirados sem reclamação da paciente.

Quando você ganha peso, as células de gordura aumentam de tamanho e volume, nas pacientes com Lipedema elas inflamam também. Por sua vez, a lipoaspiração reduz o número de células de gordura em uma área específica. A quantidade de gordura removida depende da aparência da área e do volume de gordura. As mudanças de contorno resultantes são geralmente permanentes, desde que o peso permaneça estável.

Após a lipoaspiração, a pele se molda aos novos contornos das áreas tratadas. Se você tiver um bom tom e elasticidade de pele, é provável que ela tenha uma aparência lisa. Se a sua pele for fina, com pouca elasticidade ou a quantidade de gordura removida for muito grande, a pele nas áreas tratadas pode parecer solta, flácida e um tratamento com bioestimuladores de colágeno ou ressecção do excesso de pele pode ser necessário.

“A lipoaspiração não deve ser considerada um método de perda de peso ou uma alternativa para isso. A cirurgia deve ser feita da forma mais segura possível e os parâmetros de segurança são muito bem estabelecidos. Quando eles não são respeitados, aumentam muito os riscos de complicações que podem, inclusive, causar a morte da paciente. Por isso, se a pessoa tem Lipedema, é fundamental procurar um cirurgião que entenda a doença e respeite a técnica. O tratamento clínico antes da cirurgia, além de emagrecer, facilita a remoção da gordura ao diminuir a inflamação e a fibrose. Isso, associado à técnica correta e segura, garante um bom resultado”, explica o Dr. Daniel Benitti, cirurgião vascular especialista em Lipedema, que atende em São Paulo, em Campinas e, no momento, também a distância.

LEIA TAMBÉM: Como fazer o diagnóstico do Lipedema?

LEIA TAMBÉM: Cerca de 11 milhões de brasileiras têm Lipedema, mas a maioria não sabe!

Alerta

É muito tentador para uma pessoa querer retirar grandes quantidades de gordura do corpo em um procedimento de lipoaspiração e se ver livre da gordura em um único procedimento. No entanto, a retirada de grandes quantidades de gordura apresenta riscos para a paciente:

  • Trombose e Embolia (inclusive embolia gordurosa)
  • Parestesias (formigamento) e Paralisias (lesão de nervo)
  • Lesões do Sistema Linfático
  • Necessidade de transfusão sanguínea
  • Hematomas e equimoses
  • Infeção
  • Irregularidade da pele
  • Seroma

lipoaspiracao-pernas-tratamento-lipedema-retirada-de-gordura-dr-daniel-benitti-cirurgiao-vascular-sao-paulo-campinas

O risco das complicações aumentam caso o cirurgião não está habilitado para tratar o Lipedema ou fazer o procedimento com anestesia local.

A Resolução do Conselho Federal de Medicina nº 1711/03 determina parâmetros de segurança para a execução da lipoaspiração. Essa resolução de 2003 veio para proteger as pacientes. É dever do médico esclarecer sobre a indicação, riscos e prognóstico.

A resolução estabeleceu os limites de retirada de tecido gorduroso. Admite-se a retirada de 7% do peso da paciente e em até 40% da extensão do corpo.

Considerando que cada membro inferior consiste em 18% da superfície corporal (esse volume é maior nas pacientes com Lipedema), a cirurgia das duas pernas consiste em 36% da superfície corporal. A superfície corporal de cada membro superior consiste em 9%. Portanto, a área aspirada dos membros superiores pode chegar a 18%.

Considerando que a lipoaspiração tumescente de ambos os membros inferiores e superiores consiste em 54% da superfície corporal, este procedimento não é seguro e não é recomendado pelas normas do Conselho Federal de Medicina.

Parágrafo 1º – Casos que ultrapassem os parâmetros previstos no caput deste artigo e que possuam indicação médica de exceção têm sua execução restrita a ambientes de estrutura material hospitalar completa, sendo especificamente documentados e com nomeação explícita do cirurgião responsável pela indicação e execução do tratamento.

“Infelizmente, não vemos estes parâmetros sendo sempre respeitados. Muitas pacientes com Lipedema realizam a lipoaspiração com cirurgiões que desconhecem a doença ou que não respeitam os parâmetros ou não realizam o tratamento clínico antes para desinflamar a gordura do Lipedema e o resultado não fica bom, podendo causar riscos para a saúde da pessoa, além do comprometimento estético. Levando-se em conta que a cirurgia é realizada em pessoas sadias, toda medida de segurança deve ser respeitada para os riscos serem mínimos”,  alerta o Dr. Daniel Benitti.

A gordura também deve ser respeitada como um órgão que produz e é alvo de diversos hormônios. Quando é retirada a gordura na lipoaspiração, perde-se uma parte deste órgão que pode trazer malefícios para a paciente.

Um exemplo de hormônio produzido pela gordura é a leptina. Quando a gordura é retirada, cai a produção da leptina. Isso causa um aumento importante da ansiedade e vontade de ingerir alimentos, o que pode causar ganho de peso em outros locais e aumento da inflamação. Quando a paciente com Lipedema é tratada clinicamente antes do procedimento e os limites de segurança são respeitados, esses sintomas são menos evidentes após o procedimento.

Procure um médico que entenda a doença e respeite as técnicas de segurança.

Não corra riscos, sua saúde é única!

LEIA TAMBÉM: Lipedema: 5 alimentos que inflamam e devem ser evitados

LEIA TAMBÉM: Yoga: por que começar a fazer, principalmente se você tem Lipedema?

LEIA TAMBÉM: Plataforma vibratória melhora a celulite e o Lipedema

Para consulta e agendamento com o Dr. Daniel Benitti em Campinas, ligue para (19) 3233-4123 ou (19) 3233-7911.

Para consultas com o Dr. Daniel Benitti em São Paulo, ligue para (11) 3081-6851.

Caso prefira, entre em contato diretamente com ele via e-mail:

Sobre o Autor: Dr. Daniel Benitti

Médico formado pala Faculdade de Medicina da USP (Universidade de São Paulo), com Residência em Cirurgia Geral e em Cirurgia Vascular e Endovascular no Hospital das Clínicas da USP. veja mais aqui

Deixe seu comentário

Seu email não será publicado.