perguntas-comuns-lipedema-dr-daniel-benitti-cirurgiao-vascular

As 10 perguntas mais frequentes sobre Lipedema

 

perguntas-comuns-lipedema-dr-daniel-benitti-cirurgiao-vascular

 

  1. O que é Lipedema?

O Lipedema é um distúrbio de gordura que foi identificado pela primeira vez em 1940 pelos Drs. Edgar Allen e Edgar Hines na Clínica Mayo. O Lipedema é crônico e acomete mulheres durante a puberdade, gestação, menopausa ou alguma situação de muito estresse. Caracteriza-se por aumento simétrico do tecido gorduroso nas pernas, podendo acometer braços, doloroso a palpação, mas poupa mãos, pés e tronco.

A fisiopatologia do Lipedema não é claramente entendida e, infelizmente, a doença não é ensinada ou incluída no currículo das faculdades de medicina, embora acometa 11% das mulheres e já esteja incluída como doença pela Organização Mundial de Saúde (OMS).

As queixas mais comuns das mulheres com Lipedema são:

  • Pernas gordas
  • Muita celulite
  • Hematomas com facilidade
  • Inchaços nas pernas
  • Dor e sensação de peso nas pernas
  • Pés frios
  1. A doença atinge mais homens ou mulheres? 

A doença atinge 11% das mulheres. No entanto, é uma doença subdiagnosticada e pouco investigada, mas causa um impacto psicológico imenso. Muitas pacientes se sentem rejeitadas pelos médicos, ouvem que é normal, que é da família mesmo ou que elas estão obesas.

Contudo, muitos médicos desconhecem o que é Lipedema! Metade das pacientes com a doença estão com o peso normal e insatisfeitas com o corpo.

Os casos em homens são raros e normalmente apresentam algum distúrbio hormonal ou insuficiência hepática.

  1. Qual a causa do Lipedema? 

A causa ainda é desconhecida, mas há um papel importante dos hormônios femininos, principalmente o estrógeno.

  1. Existe algum fator genético ligado ao Lipedema? É hereditário? Quero dizer, as possibilidades de uma menina apresentar a doença é maior se sua mãe ou avó tiverem o mesmo problema?

Certamente há mais de um fator genético ligado ao Lipedema. Alguns estão sendo descobertos, mas ainda é desconhecido. O Lipedema apresenta uma herança autossômica dominante com penetrância incompleta.

60% das pacientes têm familiares com Lipedema. A chance de transmissão para filhas é de 50%. Vejo que algumas filhas de pacientes com Lipedema já apresentam hematomas nas pernas, muita vontade por coisas salgadas e reclamam de dores nas pernas que geralmente são atribuídas a “dores de crescimento”.

  1. Em seu site, o Sr. cita e descreve cinco tipos de Lipedema conforme a distribuição de gordura em determinadas regiões do corpo. Existe alguma razão (genética ou hereditária) para essas diferenças? 

Certamente existe uma razão genética para a distribuição do Lipedema no corpo. Doenças crônicas e complexas apresentam sempre mais de um tipo de apresentação. Ainda desconhecemos os fatores que distribuem a gordura do Lipedema pelo corpo, mas a expressão fenotípica varia, principalmente se tiver obesidade associada. Primeiro observo um acometimento das pernas para depois iniciar o acometimento dos braços.

  1. . A partir de que idade aparecem os primeiros sinais? 

O aparecimento do Lipedema é frequentemente observado durante a puberdade, gravidez, menopausa ou outros períodos de flutuações hormonais, o que sugere um efeito hormonal. Mas, também pode ocorrer durante período de estresse, perda de um ente ou animal querido, após uma cirurgia ou uso de medicações como corticóide em doses altas para doenças autoimunes.

  1. Da pré-adolescência à menopausa, a mulher passa por diferentes fases hormonais em sua vida. Essas mudanças têm a ver com o desenvolvimento da doença em maior ou menor grau? Quer dizer, quando mais adulta for, se já teve filhos ou não, etc., a doença pode se apresentar de uma forma mais grave ou não existe nenhuma relação entre os fatos? 

O Lipedema é uma doença crônica de baixo grau. Isso significa que, quanto mais tempo passa, mais a pessoa irá desenvolver a doença e mais vai inflamar. Cada pico de hormônio (como gestação) ou estresse irá causar uma progressão maior da doença. O diagnóstico nas fases iniciais facilita muito o tratamento e impede a progressão para estágios mais avançados.

  1. O Sr. poderia citar os sinais aos quais as mulheres precisam estar atentas para procurar com rapidez ajuda profissional especializada para esse problema?

As mulheres que apresentam Lipedema acham que têm 2 corpos, um do umbigo para cima e outro do umbigo para baixo. A gordura do Lipedema é dolorosa e sensível, hematomas são frequentes e as pacientes apresentam muita celulite e pés frios. A gordura é resistente a dieta e atividade física. Normalmente as mulheres com Lipedema sabem que têm algo diferente, mas não sabem o nome. Devido ao desconhecimento desta doença, muitas ficam sem diagnóstico e possibilidade de tratamento.

  1. Em seu site, o Sr. avisa que a doença não tem cura, mas tem tratamentos. O Sr. poderia citar  os tratamentos mais indicados para o problema? A indicação depende da localização, da fase ou grau da doença?

A doença deve ser tratada o mais cedo possível. Tudo começa com o diagnóstico. Hoje temos à disposição medicações e cremes que auxiliam na melhora dos sintomas e remodelamento das pernas.

Para casos mais avançados, pode ser realizada a lipossucção tumescente com microcânula vibratória. Este procedimento deve ser realizado por um cirurgião habilitado, com conhecimento do Lipedema, para que não ocorra lesão do sistema linfático.

Quando tratadas, as mulheres com Lipedema melhoram e ficam muito satisfeitas consigo mesmas. Elas têm algumas características em comum que são muito positivas: pouca gordura visceral, baixo risco de diabetes, dislipidemia e hipertensão, mesmo quando estão acima do peso, têm uma pele macia e sedosa, além de um rosto jovem e bonito.

  1. Existe indicação de cirurgia para alguns casos?

O Lipedema tem apresentações diferentes em cada mulher. Cada uma apresenta uma experiência única com características físicas, fisiológicas e psicológicas diferentes. Acredito piamente que uma abordagem holística e individualizada do tratamento é necessária para obter os melhores resultados possíveis. Isso nunca poderá ser alcançado unicamente com um procedimento cirúrgico.

Um protocolo pessoal deve ser desenvolvido explorando cinco domínios principais: físico, mental / psicológico, emocional, espiritual e social.

A cirurgia deve ser realizada apenas após o domínio e harmonia desses 5 pilares.

A lipoaspiração deve ser feita por um cirurgião que domine a técnica e conheça o Lipedema. Caso contrário pode ocorrer lesão do sistema linfático.

As principais indicações da cirurgia, hoje, são manutenção da mobilidade dos membros, melhora da dor e estética.

Autor: Dr. Daniel Benitti (CRM 116.011)

Cirurgião vascular formado pela USP.

Fundador da Associação Brasileira de Lipedema.

Eleito personalidade do Ano na área da saúde pelos avanços no tratamento do Lipedema em Cambridge, Inglaterra.

Para consulta e agendamento com o Dr. Daniel Benitti em Campinas, ligue para (19) 3233-4123 ou (19) 3233-7911.

Para consultas com o Dr. Daniel Benitti em São Paulo, ligue para (11) 3081-6851.

Para consultas a distância com o Dr. Daniel Benitti, entre em contato via e-mail:

Sobre o Autor: Dr. Daniel Benitti

Médico formado pala Faculdade de Medicina da USP (Universidade de São Paulo), com Residência em Cirurgia Geral e em Cirurgia Vascular e Endovascular no Hospital das Clínicas da USP. veja mais aqui

2 comments to “As 10 perguntas mais frequentes sobre Lipedema”

Deixe seu Comentário or Trackback this post.

  1. Sonia Aparecida Cavalcanti da Silva - 9 de outubro de 2021 at 23:21 Reply

    Olá .Boa noite meu nome ė Sonia tenho 50anos já faz uns três anos que sinto dores e vejo meus tornozelos inchando , e agora meus braços e mãos tbm e fazendo alguns exames e, então me veio o diagnóstico que sofro de lipedema que as dores que sinto o peso que está tão difícil de perder e ganhando sempre um pouco mais de peso !

Deixe seu comentário

Seu email não será publicado.