Ressentimento entre o casal.

Por que o ressentimento faz mal para qualquer relacionamento?

 

Ressentimento entre o casal.
É difícil lidar com mal-entendidos quando você acha que a outra pessoa não o compreende ou o aprecia.

 

Você já se sentiu prejudicada, aproveitada ou dispensada por um parceiro, parente, professor ou chefe? No início, você fica com raiva por não estar sendo tratada de forma justa ou correta. Com o tempo, os sentimentos aumentam e se perpetuam. Essa bola de neve se transforma em decepção, amargura e ressentimento.

É difícil lidar com mal-entendidos quando você acha que a outra pessoa não o compreende ou o aprecia. Você entra em um cabo de guerra sobre quem está certo e quem está errado, e os egos ficam no caminho. Normalmente, os dois lados acreditam estar corretos. Isso dificulta e muito uma conversa.

Quando todos estão no modo de batalha é difícil reconhecer a humanidade nas outras pessoas. 

Abaixo listamos problemas comuns que aumentam e alimentam o fogo do ressentimento.

1.Sempre ter a razão

Sempre ter razão.

Quando alguém insiste que está certo o tempo todo, isso é arrogância.

As pessoas muitas vezes querem que as outras façam as coisas exatamente como elas fariam ou da forma que elas querem. É preciso entender, que há várias maneiras de fazer a mesma coisa. Cada um vai fazer do seu jeito e deve ser respeitada a sua forma de agir.

Qual o lado certo de colocar o papel higiênico? Sabia que metade das pessoas acredita que é saindo por cima e a outra metade saindo por baixo?

Defenda o seu direito de fazer as coisas do seu jeito. Fale, explique e se posicione. Não deixe os sentimentos apodrecerem. Quanto mais você espera, mais o ressentimento tende a crescer e explodir em uma discussão sobre algo insignificante.

2.Tirar vantagem dos outros

Diga não para as outras pessoas.

Se você acha que alguém está sendo egoísta, primeiro tente colocar-se no lugar dessa pessoa. Pergunte a si mesma por que eles estão tão empenhados em ter suas próprias necessidades atendidas. O que realmente está acontecendo?

Algumas pessoas não tiveram a mesma vida e educação/criação que você. Outros sofreram traumas de infância que os fizeram se concentrar na sobrevivência e em suas próprias necessidades em primeiro lugar.

Gentilmente, diga à pessoa como o comportamento dela faz você se sentir. Se isso não funcionar, aprenda a dizer “não” à pessoa com confiança e convicção, mas de forma educada.

3.Sentir-se ofendida

Sentir-se ofendida.

Comentários irrefletidos e insultos irritam. Algumas pessoas desencadeiam nossa raiva mesmo sem saber. Reconheça os seus gatilhos e quem consegue ativá-los facilmente.

Considerar a intenção da pessoa pode afastar o ressentimento antes que ele se enraíze.

Mas, se outra pessoa conhece os seus gatilhos e os acerta intencionalmente, o seu ressentimento pode ser uma mensagem.

Não ignore o sentimento. Se você se sente ofendida repetidamente por uma pessoa, isso pode ser um sinal de que ela não é uma boa pessoa para se ter em sua vida.

4.Expectativas irreais

Você tem expectativas irreais com as outras pessoas?

Às vezes, podemos esperar mais das pessoas do que elas podem fazer ou oferecer. É preciso reconhecer a natureza e os hábitos delas.

Se não fizer parte da personalidade da pessoa ter determinada ação, você se preparou para se sentir ressentida.

Exemplos simples:

  • Achar que a outra pessoa vai lembrar de uma data importante e irá te presentear.
  • Acreditar que a outra pessoa vai entender que o gasto está grande e vai se oferecer para dividir a conta.

Em vez disso, tente ajustar as suas expectativas. A outra pessoa pode estar mostrando apreço de uma maneira diferente.

5.Não ser ouvida

Você sente que não é ouvida?

A pessoa parece estar a quilômetros de distância quando você está conversando pela manhã? Às vezes ouvir é incrivelmente difícil. Não grite, provavelmente você terá que repetir a sua mensagem. 

Envie um áudio ou mensagem de texto mais tarde e recapitule o que você queria dizer. Fuja de uma discussão que não irá mudar a outra pessoa.

6.Atraso frequente

Pessoas que sempre estão atrasadas.

Você pode sentir que a pessoa que nunca chega na hora ou cumpre horário não se importa com você.

“É rotina para algumas pessoas chegar fora do horário combinado. Não adianta discutir. Com cuidado, aponte como o atraso deles faz você se sentir e o que você gostaria. Explique que o atraso vai implicar na sua rotina e na de outras pessoas que se comprometeram com determinado horário. Em seguida, estabeleça limites firmes. Diga à outra pessoa quanto tempo você vai esperar e cumpra o que você disse caso ela se atrase. O tempo é a coisa mais valiosa que nós temos”, indica o Dr. Daniel Benitti, cirurgião vascular que atende em São Paulo, Campinas e a distância.

Uma mudança de pensamento também pode ajudar. Tente ver o atraso da outra pessoa como um reflexo dela, e não seu. O atraso pode ter menos a ver com respeitar o seu tempo e mais a ver com os seus próprios hábitos ou ansiedade.

Sempre correr para dentro de casa “para mais uma coisa” ou se distrair com coisas sem importância antes de sair pode ser uma tentativa de aliviar a ansiedade.

Praticar o perdão é fundamental para a vida em sociedade e relacionamentos de longo prazo.

É possível aprender a ser uma pessoa mais empática e abandonar comportamentos problemáticos. Mas, a pessoa deve estar disposta a mudar.

Primeiro, devemos identificar o que está acontecendo. Você pode se tornar hábil em chegar rapidamente à raiz de um problema de relacionamento antes que a raiva, a miséria ou a amargura se instalem. Quanto maior o acúmulo de sentimento, mais difícil é resolver a situação.

Depois de resolver um problema, não o repita. Considere um momento de aprendizado para usar no futuro. Não olhe para trás. Você não está mais indo para lá.

Choques emocionais e raiva intensa também esgotam as energias, assim como ressentimentos e mágoas nutridos durante anos seguidos. Quando perdoamos aqueles que nos fizeram algum mal, nos libertamos das mágoas e ressentimentos que atrapalham a fluidez da vida.

Para consulta e agendamento com o Dr. Daniel Benitti em Campinas, ligue para (19) 3233-4123 ou (19) 3233-7911.

Para consultas com o Dr. Daniel Benitti em São Paulo, ligue para (11) 3081-6851.

Caso prefira, entre em contato diretamente com ele via e-mail:

Sobre o Autor: Dr. Daniel Benitti

Médico formado pala Faculdade de Medicina da USP (Universidade de São Paulo), com Residência em Cirurgia Geral e em Cirurgia Vascular e Endovascular no Hospital das Clínicas da USP. veja mais aqui

Deixe seu comentário

Seu email não será publicado.