Sistema circulatório: riscos e cuidados após os 60 anos

 

idoso-circulacao-sanguinea-vascular-dicas-dr-daniel-benitti-cirurgiao-vascular-
Os idosos possuem maior chance de apresentar alterações em todo o sistema circulatório.

Com o avanço da idade ocorre o processo de envelhecimento e o corpo começa a mostrar debilidades. Segundo o cirurgião vascular Dr. Daniel Benitti, que atende em Campinas e em São Paulo, os pacientes mais idosos tem uma chance maior de apresentar alterações em todo o sistema circulatório. “É necessário atenção redobrada à parte arterial, devido à aterosclerose (acúmulo de gordura nas artérias, que causa obstrução do fluxo de sangue), à parte venosa, com as famosas varizes, e à parte linfática, com o linfedema (inchaço no braço ou na perna, causado por um bloqueio do sistema linfático)”, alerta.

A aterosclerose, por exemplo, se acentua nas pessoas com mais de 60 anos. Ela causa uma obstrução do fluxo que leva o sangue para o coração, cérebro, rins e pernas, podendo acarretar na diminuição da quantidade de sangue nestas regiões, afetando o equilíbrio entre oferta e demanda e podendo causar uma doença irreversível.

 

 

Desta forma, os idosos precisam tomar mais cuidados diários com uma alimentação saudável (pouco sal e gordura, e muitas frutas, verduras e legumes), e atividades físicas regulares. “A atividade física diária é muito importante para a saúde da circulação, além de fortalecer os músculos que auxiliam as veias a retornar o sangue ao coração. Somente as pessoas que apresentam limitações não devem realizar exercícios”, adverte. “É importante que o tipo de atividade seja feita conforme orientação médica, pois alguns pacientes se beneficiam mais de exercícios aeróbicos e outros de musculação”, afirma o Dr. Daniel Benitti.

Vale lembrar que “o hábito faz o monge”. Ou seja, uma vida regrada com uma alimentação saudável, sem excessos e com atividade física raramente resultará em qualquer problema circulatório no futuro. Contudo, é essencial fazer um check up vascular para identificar qualquer alteração na circulação, principalmente para as pessoas com mais de 45 anos.

De acordo com o cirurgião vascular Dr. Daniel Benitti, muitas vezes é possível identificar a doença antes de qualquer sintoma. “As pessoas que começam a apresentar claudicação ao realizar atividade física, por exemplo, devem tomar cuidado, pois este é um indício muito comum de problema circulatório e, infelizmente, muitas passam a diminuir os exercícios ao invés de procurar tratamento. Extremidades frias, principalmente os pés, também são sinais de doenças circulatórias”, afirma.

LEIA TAMBÉM: Pés podem dar sinais de obstrução nas artérias

LEIA TAMBÉM: Secagem de vasinhos

LEIA TAMBÉM: Laser varizes

Check up

Quando não há doença detectada, um check up deve ser realizado uma vez ao ano. No entanto, caso contrário, o retorno deve ser realizado em um intervalo menor de tempo, conforme orientação do médico responsável.

Para consultas com o Dr. Daniel Benitti em Campinas, ligue para (19) 3233-4123 ou (19) 3233-7911.

Para consultas com o Dr. Daniel Benitti em São Paulo, ligue para (11) 3081-6851.

Caso prefira, entre em contato diretamente com ele via e-mail:

Sobre o Autor: Dr. Daniel Benitti

Médico formado pala Faculdade de Medicina da USP (Universidade de São Paulo), com Residência em Cirurgia Geral e em Cirurgia Vascular e Endovascular no Hospital das Clínicas da USP. veja mais aqui

14 comments to “Sistema circulatório: riscos e cuidados após os 60 anos”

Deixe seu Comentário or Trackback this post.

  1. Enilma Gonçalves - 30 de janeiro de 2018 at 01:16 Reply

    Boa noite..Eu quero saber se aos 71 anos minha mãe pode fazer cirurgia de varizes? Obrigada..
    Enilma Gonçalves

    • Dr Daniel Benitti - 1 de fevereiro de 2018 at 17:41 Reply

      Boa tarde. Não existe uma regra que é válida para todos. O ideal seria passar por uma avaliação para ver se ela tem alguma contra-indicação a uma cirurgia.

Deixe seu comentário

Seu email não será publicado.