Tromboflebite: dor, vermelhidão e calor em veia superficial do corpo

Tromboflebite: dor, vermelhidão e calor em veia superficial do corpo
5 (100%) 2 votes

 

tromboflebite-causas-sintomas-tratamento-dr-daniel-benitti-cirurgiao-vascular-sao-paulo-campinas
Quando existe a suspeita clínica de tromboflebite é obrigatório realizar o exame de ultrassom doppler venoso para a confirmação.

 

Tromboflebite ou flebite é a trombose de uma veia superficial que pode ocorrer em qualquer parte do corpo, sendo mais comum nas pernas. Metade dos casos ocorre na veia safena magna e 30% nas veias tributárias e perfurantes. A tromboflebite nos braços, por sua vez, é muito comum no ambiente hospitalar, acometendo de 25-35% dos pacientes internados.

Causas

  • Varizes:  causa mais comum. 90% das pessoas com tromboflebite tem varizes! Isso ocorre, pois as veias dilatadas causam acúmulo de sangue nas pernas, formando coágulos;
  • Inserção de catéter na veia, punção de veia e infusão de remédios e/ou quimioterápicos são a principal causa de tromboflebite em veias dos braços;
  • Uso de anticoncepcionais ou reposição hormonal;
  • Doença de Mondor:  tromboflebite de uma veia superficial da mama ou do pênis;
  • Síndrome de Trousseau: tromboflebite migratória associada com malignidade (câncer).

Obesidade, sedentarismo, idade avançada, gestação, cirurgia recente de câncer e história familiar também são fatores de risco para tromboflebite.

LEIA TAMBÉM: Tromboflebite pode estar associada a casos de câncer

LEIA TAMBÉM: Varizes: muito além da estética, problemas reais de saúde

Sintomas

Os principais sintomas da tromboflebite são:

  • Dor;
  • Edema;
  • Vermelhidão (rubor);
  • Calor em uma veia superficial do corpo.

Existem outras doenças que apresentam sintomas semelhantes, como erisipela, celulite, eritema nodoso e linfangite, por exemplo.

“Quando existe a suspeita clínica de tromboflebite é obrigatório realizar o exame de ultrassom doppler venoso para a confirmação. Não é possível confirmar ou descartar o diagnóstico sem o exame complementar”, explica o Dr. Daniel Benitti, cirurgião vascular que atende em São Paulo e em Campinas. Se a suspeita for na perna, deve-se realizar o exame das duas pernas, pois segundo os estudos POST e OPTIMEV, 23% dos pacientes que apresentam tromboflebite tem trombose venosa profunda associada e 17% apresentam acometimento bilateral. “Lembrando que a trombose é a principal causa de morte dentro dos hospitais, por isso, todas as medidas para prevenção e tratamento precoce devem ser realizados”, complementa.

Tratamento

Não existe o melhor tratamento de tromboflebite para todas as pessoas. É necessário individualizar cada caso. Os mais simples podem ser tratados com cremes ou pomadas e anti-inflamatórios, por exemplo.

Hoje, há uma tendência, baseada na literatura, de anticoagular os pacientes com tromboflebites maiores que 4-5cm, trombo em veia perfurante ou próximos da junção da safena com o sistema profundo, pois melhora os sintomas e diminui o risco de complicações. Além disso, um recente estudo comprovou a eficácia e segurança do tratamento com medicações via oral em vez de injetáveis.

“Não podemos subestimar a tromboflebite, pois, como descrito anteriormente, 23% dos pacientes podem apresentar trombose venosa profunda, que, por sua vez, pode evoluir para embolia pulmonar”, alerta o Dr. Daniel Benitti.

O mais importante no tratamento da tromboflebite é procurar um cirurgião vascular ou angiologista competente e que se mantenha sempre atualizado para que o diagnóstico seja feito rapidamente e o sucesso do tratamento seja o maior possível, com o menor risco de complicações.

LEIA TAMBÉM: Por que ter um médico de confiança?

LEIA TAMBÉM: A importância do check-up vascular

LEIA TAMBÉM: O que o angiologista e cirurgião vascular trata?

Para consulta e agendamento com o Dr. Daniel Benitti em Campinas, ligue para (19) 3233-4123 ou (19) 3233-7911.

Para consultas com o Dr. Daniel Benitti em São Paulo, ligue para (11) 3081-6851.

Caso prefira, entre em contato diretamente com ele via e-mail:

Sobre o Autor: Dr. Daniel Benitti

Médico formado pala Faculdade de Medicina da USP (Universidade de São Paulo), com Residência em Cirurgia Geral e em Cirurgia Vascular e Endovascular no Hospital das Clínicas da USP. veja mais aqui

Deixe seu comentário

Seu email não será publicado.