Uma vacina que todos nós tomamos na infância pode proteger do coronavírus

Uma vacina que todos nós tomamos na infância pode proteger do coronavírus
5 (100%) 5 votes

 

vacina-corornavirus-covid-19-dr-daniel-benitti-cirurgiao-vascular-sao-paulo-campinas
A combinação de morbimortalidade reduzida pela vacina traz mais esperança para nós brasileiros. (imagem freepik)

 

O coronavírus se espalhou para a maioria dos países do mundo em uma velocidade assustadora e tomou conta dos noticiários diários e das mensagens de whatsapp.

Contudo, muitas notícias falsas e sem embasamento estão sendo espalhadas com velocidade proporcional a do vírus.

Quem não recebeu a receita de álcool gel com gelatina ou da morte por estouro de pneu?

Por isso, toda informação com embasamento científico precisa ser divulgada!

LEIA TAMBÉM: Alerta! Os perigos das fake news na medicina

“Após o mundo ter tido contato com o coronavírus é que estamos sabendo a realidade sobre esta doença. Houve muita omissão de dados por parte da China. Porém, esse conjunto novo de informações está permitindo ver que o impacto desta doença é diferente em cada país. Essas disparidades são atribuídas a diferenças nas normas culturais, esforços de mitigação e infraestrutura de saúde”, explica o Dr. Daniel Benitti, cirurgião vascular que atende em São Paulo e em Campinas.

Um recente estudo evidenciou que uma das diferenças nacionais no impacto do COVID-19 possa ser parcialmente explicada pelas diferentes políticas relativas à vacinação infantil com Bacillus Calmette-Guerin (BCG).

Foi relatado que a vacinação com BCG oferece ampla proteção às infecções respiratórias. 

Comparou-se um grande número de políticas de vacinação BCG de países com a morbimortalidade do COVID-19 e evidenciou-se que aqueles sem políticas universais de vacinação BCG, como Itália e EUA, por exemplo, foram mais severamente afetados em comparação com países com políticas universais e antigas de BCG. 

Os países que iniciaram tardiamente a política universal do BCG, como o Irã em 1984, apresentaram alta mortalidade, consistente com a ideia de que o BCG protege a população idosa vacinada. Além disso, a vacinação com BCG também foi relacionada com menor número de casos relatados de COVID-19 em um país. 

“A combinação de morbimortalidade reduzida pela vacina BCG traz mais esperança para nós brasileiros, sendo que todos são vacinados ao nascimento. E ainda ajuda a tirar força dos movimentos antivacina que não deveriam existir”, enfatiza o Dr. Daniel Benitti.

Vamos manter este blog atualizado com as principais informações embasadas cientificamente sobre o coronavírus. Sem alarmes ou exageros. Continue acompanhando!

LEIA TAMBÉM: Vitamina D pode ajudar a prevenir infecções respiratórias?

LEIA TAMBÉM: 5 dicas para melhorar o seu sistema imunológico

LEIA TAMBÉM: O que a Gripe Espanhola de 1918 nos ensina para combater o coronavírus?

LEIA TAMBÉM: Coronavírus e as consequências do isolamento

Para consulta e agendamento com o Dr. Daniel Benitti em Campinas, ligue para (19) 3233-4123 ou (19) 3233-7911.

Para consultas com o Dr. Daniel Benitti em São Paulo, ligue para (11) 3081-6851.

Caso prefira, entre em contato diretamente com ele via e-mail:

Sobre o Autor: Dr. Daniel Benitti

Médico formado pala Faculdade de Medicina da USP (Universidade de São Paulo), com Residência em Cirurgia Geral e em Cirurgia Vascular e Endovascular no Hospital das Clínicas da USP. veja mais aqui

Deixe seu comentário

Seu email não será publicado.